TransVerCidade: a transversalidade no olhar da cidade

Por Betina D’Ávila, da Sopro

A terceira edição do Simultaneidade acontecerá nos dias 16 e 17 dezembro e pretende provocar outros olhares à cidade

* Veja aqui a programação do Simultaneidade

* Confirme sua presença no evento do Facebook

Em um contexto político e socioeconômico conturbado, olhamos para a cidade de uma forma cada dia mais negativa. Mas e se todos pudessem vê-la desde outros pontos de vista e perceberem que, sim, ela também tem muito de agradável e positivo?

TransVerCidade é o tema do Projeto Simultaneidade deste ano aqui no Vila, e significa justamente isso: despertar as diferentes visões transversais e mostrar que há muita diversidade nos espaços urbanos.  Várias linguagens, de formas diferentes, podem se complementar e expressar o que está acontecendo de bacana na cidade.

Captura de Tela 2017-12-10 às 20.01.43

A terceira edição do Simultaneidade quer provocar o exercício do olhar empático.

A Aline Bueno, que colabora com a construção da “bienal” do Vila desde o começo, em 2013, fala que o Simultaneidade é uma experiência estética, porque mexe com todos os nossos sentidos.

Olhamos a cidade porque sentimos ela. E quando utilizamos o verbo olhar, manifestamos um sentido simbólico, uma vez que nenhuma visão é mais importante do que outra: aqui, queremos incluir e complementar todas as formas do olhar.

Por isso, TransVerCidade também significa trazer reflexões inclusivas em relação à cidade. Aqui, a oportunidade é de sensibilizar uma construção para essa diversidade. A Ovni Acessibilidade Universal, iniciativa vileira idealizada pela Mimi Aragón e pela Kemi Oshiro, confia na possibilidade do protagonismo de pessoas com deficiência, fortalecendo a ideia de que a atuação coletiva pode diminuir os obstáculos diários.

Mimi reflete bastante sobre as limitações humanas e acredita que não devemos enxergar deficientes como “coitadinhos”, tampouco como heróis. São pessoas como todos nós, somente com limitações diferentes, e por isso sentem a cidade da forma como são recebidos. Por isso, é importante considerarmos sempre todas as maneiras de enxergar, e fazer com que nossos ambientes não se tornem locais hostis e inacessíveis.

A terceira edição do Simultaneidade quer provocar reflexões como essas. A partir do exercício do olhar empático é que conseguiremos provar a transversalidade de diferentes olhares, desde diferentes campos profissionais, que podem se complementar, até o olhar de quem enxerga menos, pelos olhos de quem não tem sua visão afetada.

Captura de Tela 2017-12-10 às 20.02.13

Atividade da primeira edição do Simultaneidade, em 2013.

A terceira edição do Simultaneidade, a Bienal do Vila Flores

Consideramos o Simultaneidade um protótipo de tudo o que o Vila Flores se tornou, uma vez que foi o primeiro grande evento que produzimos, em dezembro de 2013. Na época, não tínhamos um espaço em condição de receber um grande fluxo de gente, e mesmo assim contamos com cerca de 600 pessoas naqueles dois dias.

Na primeira edição, tivemos a colaboração de diversas direções: desde vizinhos do Quarto Distrito, que disponibilizaram seu tempo e criatividade para apresentações, até pequenos patrocínios de parceiros. A Aline considera o projeto um norte para o Vila: “foi, de fato, um lampejo do que viria, que mostrou um caminho pra gente – um caminho muito bonito, aliás”. O projeto também foi significativo para muitos de nossos residentes, que só conheceram nosso espaço por causa dele.

Dois anos depois, em dezembro de 2015, já contávamos com diversos residentes. Por isso, nada mais justo do que a programação da segunda edição ser construída, em grande parte, por eles. Agora, na terceira edição, contamos com iniciativas externas que também acreditam na transversalidade na construção do olhar à cidade.

 

Informações sobre o evento Simultaneidade:

O quê? Simultaneidade III – Edição TransVerCidade

Quando? 16 e 17 de dezembro, das 10h às 22h

Onde? Vila Flores: Rua São Carlos, 753

Quanto? Contribuição consciente

 

Anúncios

Programação Simultaneidade III – Edição TransVerCidade

As atividades acontecem em diferentes espaços do Vila Flores – Rua Hoffmann, 459, bairro Floresta, POA/RS. O convite é aberto à toda família e a entrada é gratuita, havendo a possibilidade de contribuição consciente para a estrutura do evento e para as atividades oferecidas.

PROGRAMAÇÃO DO DIA 16 DE DEZEMBRO – SÁBADO

CAFÉ DA MANHÃ COLETIVO E BÚSSOLA
16/12 – 10h às 12h- Espaço Galpão
Aquele café da manhã que rola por toda a manhã, onde cada um traz uma gostosura e o papo vai longe, sabe? É só chegar a partir das 10h e trazer algo  para compartilhar. Junto com o café vamos realizar a Bússola, que busca integrar os participantes do projeto Simultaneidade, Vileiros e quem queira contar sobre o seu projeto. A bússola consiste em um momento no qual todoxs apresentam suas iniciativas em 3 minutos baseadas nos seguintes eixos:
CENTRO: o que é?
LESTE: o que oferece, qual o projeto do momento?
OESTE: o que precisa?
NORTE: o que quer ? desejos para o futuro.
SUL: o que não quer? Aprendizados com o passado.
Esta é uma oportunidade de nos conhecermos melhor, compartilharmos projetos e criar oportunidades de troca.

FLASH TATTOO + HUMANUS
Organizador: Humanus
16/12 – a partir das 11h – ateliê Humanus, no pátio
A Humanus traz a ilustradora e tattoo artist Daniele Stuani para os dois dias do evento Simultaneidade. A artista estará atendendo na Loja-Atelier da marca, mostrando aplicando suas ilustrações para tatuagens baseadas nas coleções da Humanus e outras autorais para quem quiser complementar a pele com muita arte e filosofia.

INDICA-DORES DO TRANSPORTE COLETIVO EM PORTO ALEGRE
Organizadores: Instituto Fidedigna e Minha Porto Alegre
16/12 – 13h às 15h – espaço Miolo
A Minha Porto Alegre e o Instituto Fidedigna se juntam para descobrir: quais são as histórias de terror dos ônibus da cidade? Quais são as dores das usuárias e dos usuários? Esses contos irão para o livro a ser entregue para quem decide sobre nossos ônibus, mas não anda neles, enquanto trabalharemos com os indicadores.
www.ifidedigna.com.br
www.transporte.minhaportoalegre.org.br

RELANÇAMENTO DA COLEÇÃO TÉLOS
Organizador: Humanus
16/12 – a partir das 14h – ateliê Humanus, no pátio
Lançada em Novembro deste ano, a Coleção Télos fala sobre a busca pelo sentido. Com uma linguagem urbana e poética, a Humanus desenvolveu peças feitas para expressar ideias em movimento e, agora, desenvolveu peças complementares e ilustradas que representem o urbano e o seu estado de contínua mudança. Com as ilustrações, a Coleção Télos continua clássica em muitos dos seus significados, mas dá um novo sentido para as peças já desenvolvidas.

LANÇAMENTO URBANUS
Organizador: Humanus
16/12 – a partir das 14h- ateliê Humanus, no pátio
A Humanus lança no evento Simultaneidade uma coleção em parceria com ilustradores e arquitetos.  A Coleção Urbanus, une em quatro ilustrações a arquitetura do Vila Flores, baseadas em quatro pontos especiais do prédio. Assim a coleção, além de representar toda a urbanidade das peças da Humanus, elogia e comemora a inspiração que o Vila Flores traz, não só com as suas colaborações e ideais, mas com a sua estrutura histórica e contemplativa.

OFICINA SACOLAS PARA COMPRAS COM MATERIAL RECICLADO
Organizador: Natália Soares
16/12 – 15h – espaço Pátio
Oficina costurando sacolas para compras reutilizando tecidos de guarda chuvas, calças jeans, banner.

ENERGIA CIRCULAR – PINTURA DE MANDALAS
Organizador: Moacir Chotguis
16/12 – 15h às 16h – espaço Pátio
Pintura de painel, utilizando uma série de mandalas de diversos tamanhos.

OFICINA DE DANÇA
Com Cris Nunes (Espaço 373)
16/12 – 15h às 16h – espaço Miolo
A Dança fala através do corpo o que o coração não consegue expressar na palavra.

DOC DESORDEM
Fotografias de Fernanda Chemale e Poemas de Gisela Rodriguez – Projeto DESORDEM
16/12 – 15h – Teatro do Abelardo
O documentário mostra o processo artístico das artistas Fernanda Chemale e Gisela Rodrigues na criação do livro e exposição fotográfica DESORDEM, com imagens dos bastidores e a construção da narrativa iconográfica por diferentes espaços da cidade. O projeto apresenta uma poética visual, o contraponto do homem contemporâneo em uma cena dramática atemporal e cotidiana, de solitude e desordem. São relações entre passado, presente e futuro que enfatizam um plano suspenso, quimérico e fabuloso, oferecendo um retrato do cenário urbano de uma sociedade permeada por relações interpessoais falidas e interligadas por medos, imaginações, emoções e modos de vida.
https://projetodesordem.com/
https://www.facebook.com/desordem.projeto

RETIRANTES
Direção – Maíra Coelho
16/12 – 15h30 – Teatro do Abelardo
O curta-metragem Retirantes, livremente inspirado na pintura de Cândido Portinari (Retirantes – 1944), conta a história de uma mulher que vaga por terras áridas e despovoadas sem ter como alimentar seu filho. Na estrada estão os seus iguais, uma procissão que reza por auxílio, crianças, calangos e uma bandinha de forró que caminha em retirada.
Com um toque de fantasia, a narrativa revela componentes mágicos lançados sobre as dificuldades e mistérios de um povo esquecido. O filme mescla teatro de bonecos, artes visuais, cinema e é ambientado com elementos peculiares à realidade do agreste e seus fenômenos universais.
Captado em vídeo digital de alta definição, na técnica de live-motion, o curta é dirigido por Maíra Coelho, ganhadora de inúmeros prêmios como diretora de arte, entre eles, Kikito, Cineceará, José Lewgoy, Açorianos, Tibicuera, Histórias Curtas e Assembleia Legislativa. A produção conta com roteiro de Jackson Zambelli, codireção e montagem de Juliano Ambrosini, stop-motion de James Zortéa e trilha de Sérgio Olivé, além de bonequeiros conhecidos da cena teatral nacional e internacional.
O filme é financiado com recursos do FUMPROARTE e tem coprodução da Panda Filmes e Bumbá Produtora de conteúdo. A pré-estreia acontece no dia 09 de abril em Porto Alegre.
Duração: 13 min.
http://retirantesofilme.blogspot.com.br/

BATE-PAPO: S.E.R PAI: ENTRE BABAS E PRODUÇÕES
Organizador: Instituto Fidedigna e Pedro de Oliveira
16/12 – 16h às 17h – espaço Miolo
Bate papo com o ator e idealizador do grupo e canal no Youtube Sociedade Educativa e Recreativa (SER Pai) e do Curso Paternidade Responsável, com projeção de vídeos.
https://www.youtube.com/channel/UCLWt7EAbyT2NOfy0BAanubg
https://www.facebook.com/canalserpai/

ESPETÁCULO “AO DIVAGAR SE VAI LONGE E DE BICICLETA MAIS AINDA”
Cia Um Pé De Dois
16/12 – 16h às 17h – espaço Pátio
Em busca de um lugar perfeito ao encontro de um amor nem tão perfeito.
www.cia1pede.com
www.facebook.com/cia1Pede2

CONSTRUINDO UMA REDE DE INOVAÇÃO SOCIAL
Organizadores: Leonardo Brawl – TRANSLAB.URB
16/12 – 16h às 17h – espaço Galpão
Nunca as questões do ambiente urbano, principalmente referente ao Espaço Público, estiveram com tanta atenção por parte da Sociedade, e isso ocorre ao mesmo tempo em que estarmos mais conectados do que nunca, seja organizando-nos presencialmente ou apenas em ambiente digital. Mas em meio a todos os desafios coletivos da vida nas cidades, como podemos abraçar a complexidade urbana e construirmos novas lógicas de atuação estando distribuídos em rede e cruzando diferentes conhecimentos? Quem são os nossos pares? quem está se dedicando para compreender e propor possibilidades? A ideia é terminar 2017 (re)aproximando atores que já atuam nessa lógica de inovação social urbana, pensando como ganhar envergadura dentro do panorama de Porto Alegre e Região Metropolitana.
www.translaburb.cc</a
https://www.instagram.com/translab.urb/</a
https://twitter.com/TransLabUrb</a
https://www.facebook.com/TransLAB.URB/</a
https://www.facebook.com/groups/170772679986972/

DOC NHEMONGUETÁ – Exibição e bate-papo
De Paola Mallmann e Eugênio Barbosa.
16/12 – 16h – Teatro do Abelardo
Exibição e bate-papo com a diretora do curta documentário Nhemongueta. SINOPSE: “Mesmo vivendo neste mundo cheio de dificuldades, temos que resistir com essa força” aconselha a kunhã karai Laurinda Borges. O documentário Nhemonguetá revela por uma abordagem poética processos de transmissão de conhecimentos para o bem viver Mbya Guarani, filmado nas Tekoa Pindó Mirim, Tekoa Nhundy e Tekoa Jatai ty (RS). A narrativa se aproxima do ver no sonho, mostrando um panorama da cosmovisão indígena. O cultivo das sementes tradicionais, as experiências na mata, a revelação do nome da pessoa são aprendizados entoados pelas crianças nos mborai, canto-dança.Estas práticas rituais são reconhecidas como estratégias de resistência, em que as crianças Guarani se fortalecem na contemporaneidade para seguir o caminho apontado por Nhanderu.
FICHA TÉCNICA
Direção: Paola Mallmann de Oliveira e Eugênio Barboza
Operação de câmera: Gerson Gomez  e Eugênio Barboza
Operação de aúdio: Alberto Alvarez e Felipe Xavier.
Roteiro e pesquisa: Paola Mallmann de Oliveira
Fotografia e Montagem: Eugênio Barboza
Direção de Produção: Pascal Berten
Assistente de Produção: Priya Mariana Konrad
Produção Executiva nas aldeias: Paola Mallmann de Oliveira
Tradução: Andreia Dinarte, Vhera Neymar, Irineu Gomes, Ivanilde Silva, Gustavo Vhera, Sandra Benites, Alberto Alvares
Financiamento: FUMPROARTE
https://www.facebook.com/nhemonguetapoa/

QUEM TEM MEDO DE HACKER?
Organizadores: Matehackers
16/12 – 17h – espaço Miolo
Você ainda se assusta quando ouve o termo “hacker”? Acha que eles são seres exóticos, madrugadores diante de uma tela preta de código alimentados a pizza e coca-cola que quando menos se espera descobrirão todas as suas senhas, apagarão todos os seus arquivos, rodarão scripts que vão “raspar” todos os seus dados na rede e ainda escreveram mensagens engraçadinhas em cores berrantes na tela de seu computador? O Matehackers, hackerspace situado no Vila Flores desde 2014, vai trazer um pouco da história da cultura hacker, mostrar alguns hackers conhecidos (e outros nem tanto), trazer os princípios da ética hacker e, por fim, fazer uma visita guiada ao Matehackers para mostrar o que lá acontece.
http://matehackers.org/

WORKSHOP: SOLUÇÕES CRIATIVAS/COLETIVAS PARA PORTO ALEGRE
Organizadores: Paula Visoná e César Kieling
16/12 – 17h às 18h, espaço Galpão
Um momento para pensar soluções e alternativas para realidade urbana de Porto Alegre através redes colaborativas, empreendimentos e ações sociais.  No bate-papo inicial será apresentada uma seleção de documentários e informações sobre projetos nacionais e internacionais em economia criativa.
www.bit.ly/cenascriativas</a
www.paulavisona.com

PERFORMANCE com objeto-Dobras uma criação de Álvaro Vilaverde,
com Luciane Panisson, Margarida Rache, Ekin e Mateus Avila
16/12 – 18h – Pátio

O Coletivo Das Flor pauta suas criações no diálogo antropofágico com grupos sociais e comunidades através de oficinas de artes integradas abertas ao público em geral. Parte de uma pesquisa de linguagem que fricciona teatro, música, artes plásticas, cinema e dança, valendo-se do objeto concreto como recurso sensível de criação.
www.dasflor.com.br
https://www.facebook.com/DasFlor/

PAREM DE NOS ASSEDIAR! PAREM DE NOS MATAR!
Colagem de adesivos pelo bairro
Organizador: Minha Porto Alegre e Shoot The Shit
16/12 – 18h às 20h – ponto de encontro: pátio do Vila Flores
A ideia é espalhar pelo bairro adesivos “Aqui fui assediada”, com espaço para que as mulheres contem um pouco das experiências. Paralelamente, espalhar em calçadas pequenas histórias de mulheres que não passam mais por lá porque morreram de feminicídio. A cidade tem que ser um lugar seguro para as mulheres, chega de nos assediarem e nos matarem só porque estamos fazendo nosso caminho diário!

DOC ANTROPOFÁGICO DAS FLOR
Direção de Tiago Expinho e Realização: Coletivo Das Flor
16/12 – 18h30 – Teatro do Abelardo
O documentário tem como tema o processo artístico do Coletivo Das Flor e sua residência artística no Bairro Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre/RS.
Duração: 19min
www.dasflor.com.br
https://www.facebook.com/DasFlor/

APRESENTAÇÃO “O HOMEM BANDA”
Cia Um Pé De Dois
16/12 – 18h30 – espaço Pátio
Quando ao longe soa um harmonioso acordeon acompanhado por chocalhos, pratos, bumbos, apitos e imagina-se que lá está a banda! E está mesmo, mas não uma banda comum e sim uma banda inteira feita apenas de um homem só! É ele quem se apresenta… MauroLauroPaulo, um artista inventor que, aliado ao público, traduz sua tamanha inquietude entre um espetáculo e uma parafernália cheia de sonoridades!
Duração: 40 minutos
www.cia1pede.com
www.facebook.com/cia1Pede2

BATE-PAPO COM O COLETIVO DAS FLOR
Coletivo Das Flor – com Luciane Panisson, Margarida Rache, Ekin e Mateus Avila
16/12 – 19h – Teatro do Abelardo

A metodologia de criação do Coletivo Das Flor passa por espaços de convívio criativos e afetivos nas oficinas de artes integradas, saídas de campo e intervenções urbanas, ações nas quais encontramos a via de praticar um diálogo antropofágico com a cidade que nos proporciona agregar percepções diversas de mundo e sentidos para nossas criações. Nossas montagens já falaram dos desafios do Parkinson em Mergulho, da população de rua em Das Flor, da comunidade da Lomba do Pinheiro (POA), pelas ruas do próprio bairro, em Lombay, uma Fábula Urbana, sobre o protagonismo feminino das mulheres desta mesma comunidade, no docficção Sobre Marias e Terezas e no projeto Solos Das Flor, através de 03 instalações performáticas, estabelecemos um diálogo sensorial com os frequentadores do Centro Histórico-Cultural Santa Casa. Um espaço para compartilharmos os aprendizados e reflexões que esse percurso investigativo, junto à população de Porto Alegre, agregou ao nosso fazer artístico e às nossas perspectivas de mundo.
www.dasflor.com.br
https://www.facebook.com/DasFlor/

PERFORMANCE POÉTICA DESORDEM
com Gisela Rodrigues, Moira Stein e Fabiane Marques – Projeto Desordem
16/12 – 19h – espaço Pátio
Leitura dramática de poemas do livro DESORDEM com intervenções sonoras. A cidade, o urbano em meio ao caos.
https://projetodesordem.com/
https://www.facebook.com/desordem.projeto

PROGRAMAÇÃO DO DIA 17 DE DEZEMBRO – DOMINGO

ARTISTAS DA CIDADE
Colagem de lambes
Organizador: André Venzon
17/12 – 10h às 18h – ponto de encontro: pátio do Vila Flores
Artistas que transformam comunidades convidam você para colar com a gente!
“Artistas da cidade” convida você a ajudar a intervir com uma colagem de lambes com o tema TRANSVERCIDADE, inspirado na paisagem do 4º Distrito. Os artistas da cidade convidarão vários artistas urbanos junto com estudantes e adolescentes para esta intervenção urbana nos muros das esquinas das ruas 07 de Abril com Leopoldo Froes, no Bairro Floresta.
Envolva-se!

RECICLAGEM POR OUTRO MUNDO: UM DIÁLOGO ENTRE FRANÇA E BRASIL
Organizador: Apoena Socioambiental
17/12 – 10h às 11h30 – espaço Galpão
No diálogo serão apresentados dados sobre a reciclagem, coleta seletiva e principalmente sobre o trabalho realizado pelos catadores no Brasil e na França.  A apoena Kellen Paqualeto realizará inicialmente uma apresentação sobre a Apoena Socioambiental e as ações desenvolvidas. No segundo momento, a apoena Daiana Schwenger apresentará sua experiência na pesquisa de doutorado sobre o trabalho das catadores no Brasil e na França. Será um momento de troca e aprendizagem.
www.apoenasocioambiental.com

FLASH TATTOO + HUMANUS
Organizador: Humanus
17/12 – a partir das 11h – ateliê Humanus, no pátio
A Humanus traz a ilustradora e tattoo artist Daniele Stuani para os dois dias do evento Simultaneidade. A artista estará atendendo na Loja-Atelier da marca, mostrando aplicando suas ilustrações para tatuagens baseadas nas coleções da Humanus e outras autorais para quem quiser complementar a pele com muita arte e filosofia.

EXPOSIÇÃO URBANUS
Organizador: Humanus
17/12 – a partir das 11h – ateliê Humanus, no pátio
Em parceria com a Humanus, os ilustradores da Coleção Urbanus expõem desenhos que serviram para ilustrar as novas camisas e desenhos de seu estoque pessoal, juntando a arquitetura e a arte de maneira inovadora. Uma exposição super especial contando todo o processo criativo que envolveu a nova Coleção Urbanus.

OFICINA: OFERENDAS ECOLÓGICAS
Organizadores: Instituto Fidedigna e Maria Inês Pacheco (FAUERS)
17/12 – 11h às 12h30 – , espaço Miolo
Reflexões e práticas sobre as oferendas EcoLógicas.
www.fauers.com.br

BATE-PAPO: ARTE E SUSTENTABILIDADE EM INTERVENÇÕES URBANAS – RELATOS DO PROJETO ECOPOÉTICA
Organizadores: Rossendo Rodrigues e Marina Mendo – Projeto Ecopoética
17/12 – 13h às 14h – espaço Galpão
A partir das experiências do projeto Ecopoética: Arte e Sustentabilidade em intervenções urbanas,  compartilharemos reflexões, vídeos e questionamentos entrelaçando a criação artística a culturas de sustentabilidade.
www.facebook.com/ecopoetica
www.projetoecopoetica.com

BATE-PAPO: FEITO É MELHOR QUE PERFEITO
Organizador: Cáio de Santi – 4 Beer
17/12 – 13h às 14h – espaço Galpão
Bate papo sobre a criação do 4beer, com pouco recursos e envolvimento cooperativo, e a realização de eventos na cidade, como a Oktoberfest do 4º Distrito, o Tour Cervejeiro e a marca Porto Alegre Capital das Microcervejarias.
www.4beerpoa.com
https://www.facebook.com/4beerPOA/

BATE-PAPO: DIVERSIDADE SEXUAL E DE GÊNERO NA PRISÃO
Organizador: Guilherme Gomes Ferreira (Freeda), SOMOS e Instituto Fidedigna
17/12 – 14h às 15h – espaço Galpão
A partir de narrativas empíricas e de análises documentais envolvendo as experiências de tratamento penal em termos de gênero e sexualidade, no Brasil e no mundo, pretende-se debater sobre as sobrecargas penais e as histórias particulares de aprisionamento da população LGBT, tendo em consideração que as prisões produzem um regime de gênero androcêntrico e heteronormativo na forma como instituem a privação da liberdade.
https://www.facebook.com/guiobvio

PALESTRA: COMUNICAÇÃO PARA MUDAR O MUNDO
Organizadores: SOPRO Comunicação e Conteúdo
17/12 – 14h às 15h – espaço Miolo
Como marcas e organizações podem usar a comunicação para iniciar uma mudança positiva na sociedade. Propomos uma conversa sobre a comunicação como ferramenta importante na proposição de significados, no empoderamento e no engajamento das pessoas em torno de propósitos.
www.soproconteudo.com.br

OFICINA SALADA NO POTE
Organizadora: Carmen Fonseca
17/12 – 14h – espaço Pátio
Acreditamos na revolução através da comida e repensar nossos hábitos alimentares é um ato revolucionário. Pensando nisso criamos a Bendito Pote com soluções fáceis e 100% orgânicas para o seu dia a dia e seus eventos.
https://www.facebook.com/benditopoteorganico/

DOC MANIFESTO DOS PORONGOS E BATE-PAPO
Organização: Instituto Fidedigna e Rafael Diogo – Rafuagi
17/12 – 14h – Teatro do Abelardo
Mini documentário Manifesto dos Porongos que  trata do vergonhoso massacre de Porongos durante a Revolução Farroupilha, quando negros escravizados que lutavam ao lado dos farroupilhas com a promessa de liberdade foram emboscados e chacinados, através de ordens diretas de Duque de Caxias e David Canabarro. Na música, utilizando versos do poeta negro Oliveira Silveira (em memória), a letra do Hino do Rio Grande do Sul é alterada: o trecho “povo que não tem virtude acaba por ser escravo” dá lugar a “povo que não tem virtude acaba por escravizar”.

OFICINA DE CERÂMICA SENSORIAL
Ministrantes: Miriam Gomes e OVNI Acessibilidade
17/12 – 14h às 15h – atelier de cerâmica
Uma oficina para experimentar as possibilidades da cerâmica… de olhos vendados! Com a ajuda da audiodescrição, que traduz cores e formas em palavras.

OFICINA DE EDUCAÇÃO VOCAL
Organizador: Alexandre Leeh
17/12 – 15h às 16h – espaço Miolo
A voz como instrumento de empoderamento. Técnicas de respiração, exercícios de canto e trabalho corporal.
www.facebook.com/usuarioleeh
instagram: usuarioleeh

OFICINA BOMBAS DE SEMENTE
Organizadora: Daiane Evangelista da Vara – Horta Coletiva do Centro Histórico
17/12 – 15h – espaço Pátio
Bombas de sementes (Seedbombs) é uma prática milenar japonesa chamada “Tsuchi Dango”, que significa Bolinho de Terra. A técnica foi popularizadas recentemente, mas é uma tecnologia antiga, criada por Masanobu Fukuoka, agricultor e microbiólogo japonês, pioneiro da agricultura natural. Em 1988 recebeu o Prêmio Magsaysay (Prêmio Nóbel da Paz no Extremo Oriente) por sua contribuição para o bem da humanidade.
Método Fukuoka foi utilizado para florestar zonas com tendência à desertificação. Na Tailândia, nas Filipinas, na Índia e em alguns países africanos transformou pequenas regiões desertificadas em áreas verdes. Também iniciou um projeto de reflorestamento na Grécia. As bombas de sementes são consideradas um “habitat inteiro em uma pequena bola de terra” (palavras de Fukuoka). Sua principal virtude está em proteger as sementes e provê-las de nutrientes até o momento em que estarão mais desenvolvidas e menos frágeis.
https://www.facebook.com/hortascoletvasdoch/

PALESTRA: PORTO NEM TÃO ALEGRE: HISTÓRIA DA PUNIÇÃO NA CAPITAL DOS GAÚCHOS
Organizador: Instituto Fidedigna e Fernanda Bassani
17/12 – 15h30 –  Teatro do Abelardo
A atividade pretende proporcionar um sobrevoo sobre a história da punição em Porto Alegre, desde o início do século XIX até hoje. O Largo da Forca (onde eram punidos principalmente escravos) e a Cadeia Velha no Brasil Colônia; a Casa de Correção (onde se encontra o Gasômetro) no Brasil República; A Colônia de Vadios (no Estado Novo), o Presídio da Ilha (Ditadura) e, finalmente, o Presídio Central de Porto Alegre. Além disso, entender os critérios que a sociedade porto-alegrense de cada tempo estabeleceu para definir quem seria passível de punição, e as formas de castigo, nos permitindo refletir sobre a realidade atual. A atividade utilizará fotos, texto poéticos, músicas e interpretações audiovisuais.

OFICINA: INTRODUÇÃO AO MUNDO CERVEJEIRO
Organizadores: Caio e Alessandro Kny – 4Beer
17/12 – 16h às 18h, espaço Miolo
Introdução ao mundo cervejeiro – história, produção, estilos e mercado. Saiba mais sobre a cerveja artesanal, sua história, os estilos e o mercado cervejeiro brasileiro.
https://www.facebook.com/4beerPOA/
https://www.facebook.com/knyqualitybeer/

OFICINA MÃOS NO BARRO
Ministrantes: Miriam Gomes
17/12 – 16h às 17h – atelier de cerâmica, no pátio
Vivência com argila onde serão realizadas placas e potes de cerâmica de forma lúdica.

MOVIMENTO URBANO
Organização: JONER Produções e Xadalú
17/12 – 16h –  Pátio e JONER Produções
Para participação no evento coletivo “Simultaneidade” deste ano, a JONER apresenta um dia de atividades com o artista Xadalu, que em 2017 teve seu livro “Xadalu – Movimento Urbano” realizado pela JONER Produções com financiamento do Pró-Cultura-RS / FAC / Secretaria de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do RS / Governo do Estado do Rio Grande do Sul. O livro em edição trilíngue – português, inglês e guarani – traz um panorama da trajetória do artista Dione Martins, criador do personagem Xadalu e um dos mais atuantes artistas urbanos do Brasil. A programação proposta, em parceria com o artista, é a de utilizar um espaço no pátio e estúdio da JONER, na tarde de domingo dia 17, a partir das 16h. O artista fará uma apresentação “live painting” de alguma obra de sua autoria no Pátio, próximo a uma banca onde estarão sendo comercializados o livro e stickers de sua autoria. Além disso fará o restauro de uma obra sua, que está exposta na sacada do Estúdio JONER, e no mesmo local estará recebendo público para autografar o livro e bater um papo. Na ocasião estaremos apresentando aos visitantes vídeos de projetos realizados pela produtora.

DOC “ARPILLERAS: BORDANDO A RESISTÊNCIA”
17/12 – 16h30 – Teatro do Abelardo
Conta as histórias de cinco mulheres atingidas por barragens em cinco regiões brasileiras.
Vidas inteiras alagadas pelo discurso do desenvolvimento.Os relatos, apesar de singulares, denunciam em comum a lógica predatória das empresas do setor elétrico, vigente em todo o país. Comunidades inteiras deparam-se com a negação do direito à informação, à terra e à memória.  Para as mulheres, as violações de direitos são ainda maiores. Com a chegada de milhares de operários nos pequenos municípios que abrigam os canteiros de obras das hidrelétricas, por exemplo, há um aumento exponencial de assédio sexual, tráfico de mulheres, prostituição e estupro. O filme vai em busca destas histórias para denunciar à sociedade brasileira e internacional a violação de direitos das mulheres, especialmente. E vai mostrar também o protagonismo e coragem destas mulheres na luta pelos direitos.
Duração: 1h40min
http://arpilleras.wixsite.com/ofilme/o-filme

INTERVENÇÃO DESENHOS NA SACADA
Organizadoras: Betina Nilsson e Yasnaya Yanez
17/12 – 17h – Sacadas do espaço Pátio
Ilustração nas paredes da sacada do prédio da 459 da Hoffman pelas artistas visuais Betina Nilsson e Yasnaya Yanez.

BATE-PAPO: RESISTÊNCIA FEMINISTA NOS TERRITÓRIOS
Organização: Maria do Carmo Bittencourt
17/12 – 18h – Teatro do Abelardo
Roda de conversa com várias feministas de Porto alegre e do RS sobre suas maneiras de resistência com as pautas feministas. Os diversos territórios onde as mulheres sofrem os avanço do conservadorismo e das políticas neoliberais na cidade de Porto Alegre, no Brasil e na América Latina. Convites para feministas dos territórios: educação, luta por moradia, agroecologia, parlamentar, comunicação, movimento feminista, sindicalista, estudante, antirracista, liberdade religiosa, direitos sexuais e reprodutivos e outras dependendo das disponibilidades.

SHOW “A POESIA DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA”
Com Colado a Cuspe
17/12 – 18h – Palco no Pátio
A Poesia da Música Popular Brasileira mostra com arranjos elaborados pelo grupo a singularidade de cada canção eternizada através do período em que foi feita e sua influência social em sua época e sua ação nos dias de hoje.

SHOW ALEXANDRE LEEH
17/12 – 19h – Palco no Pátio
Leeh traz influências  do africanismo pro seu repertório inspirado em artistas como Clara Nunes, Cazuza e Caetano Veloso.

SHOW OS TRI POLARES
17/12 – 20h – Palco no Pátio
Tripolares é uma banda instrumental com um repertório próprio inspirado principalmente nos estilos consagrados do rock e hard rock dos anos 70. O “power trio” busca inspiração nos clássicos como Led Zeppelin, ACDC, Deep Purple, Santana, entre outros para compor músicas com alma própria e singularidade. Nasceu no ano de 2010 com o encontro dos amigos Adriano Becker (bateria), Márcio Machado (baixo) e Zé Trintin (guitarra) para extravasar as  inconstâncias da vida profana, e que aos poucos foi se tornando um projeto importante e consistente em suas vidas. As músicas apesar de não terem letras, tem muito a dizer, pois contam e retratam através das suas melodias, solos e nuances um ambiente de profunda satisfação e prazer de sentir o rock fluir pelas veias. Tripolares é a união de três pessoas inspiradas, na melhor fase de suas vidas, por isso ouça sem moderação!

EXPOSIÇÕES PERMANENTES E ATELIÊS ABERTOS NO GALPÃO E PÁTIO – SÁBADO E DOMINGO

INTERVENÇÃO COLA
Organização: Nonô Joris
Sacadas do prédio da São Carlos
O Cola é formado por 7 artistas visuais que tem na colagem a sua expressão artística (André Bergamin, Fábio Vieira, Lídia Brancher, Nonô Joris, Patrícia Heuser, Rodrigo Marroni, Ricardo Rodrigues). O grupo propõe um exercício livre criativo através da colagem em forma de uma intervenção visual dentro do espaço do Vila Flores.

EXPOSIÇÃO “NA BUSCA PELO ACASO VOLTEI ATÉ AQUI”
Organização: Ricardo Ara
Local: galpão
Exposição fotográfica do trabalho “Na busca pelo acaso voltei até aqui”, de Ricardo Ara. O trabalho une texto e fotografia para a criação de imagens de cenas cotidianas da cidade.

EXPOSIÇÃO VARAL DESORDEM
Fotografias de Fernanda Chemale e Poemas de Gisela Rodriguez – Projeto DESORDEM
Local: galpão
O projeto apresenta uma poética visual, o contraponto do homem contemporâneo em uma cena dramática atemporal e cotidiana, de solitude e desordem. São relações entre passado, presente e futuro que enfatizam um plano suspenso, quimérico e fabuloso, oferecendo um retrato do cenário urbano de uma sociedade permeada por relações interpessoais falidas e interligadas por medos, imaginações, emoções e modos de vida.
https://projetodesordem.com/
https://www.facebook.com/desordem.projeto

OLHARES FURTIVOS: EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA
Organizador: Cleiton Chiarel
Local: galpão
“A exposição Olhares Furtivos apresenta um registro fotográfico realizado pela equipe de pesquisadores do INSPE que surgiu espontaneamente na medida em que se aprofundavam os estudos em parceria com o Banco Mundial sobre resiliência na região das ilhas e do Humaitá-Navegantes. São impressões realizadas por celular durante este projeto e mostram alguns aspectos e características singulares das comunidades visitadas e uma forma de apresentar para Porto Alegre um outro olhar destas regiões.” A mostra vai trazer ao Simultaneidade a diversidade de olhares possíveis através de 40 fotos sobre as ilhas de Porto Alegre
http://facebook.com/casadascidades

INSTINTO DE VIDA E AS FACES DA (IN)DIFERENÇA NA AMÉRICA LATINA
Organização: Instituto Fidedigna
Local: sacada do Vila Flores
Exposição em banner de Faces da (In)Diferença, as faces assassinadas no Brasil, representadas por artistas grafiteiros de SP. Campanha Instinto de Vida.

EXPOSIÇÃO VARAL SOLIDÁRIO
Organização: Jorge Aguiar e Ana Marisa Skavinski
Local: pátio
Convocatória aberta para fotógrafos profissionais ou não com temática livre. Durante o evento as fotos serão vendidas (valor entre $ 10,00 ou $20,00) e o valor será revertido para compra de dois kit de alimentos e/ou material de higiene entregues para uma instituição no Bairro Umbu em Alvorada e uma instituição na Vila Santa Terezinha dentro do projeto “De Vila para Vila”
https://www.facebook.com/jorgeaguia
https://www.facebook.com/JorgeAguiarPhotographer/
https://www.facebook.com/anamarisa.nogueiraskavinski
https://www.facebook.com/cafunecultural/

ESCRITOS ÍNDIGO
Organizador: Antônia Wallig – Projeto Rekombinando
Local: galpão
Escritos Indigo  refletem  sobre a realidade de coletivos que estão buscando alternativas para o fazer individual. Inspirados na leitura do livro “Táticas de artistas na América Latina. Coletivos, iniciativas coletivas  e espaços autogestionados”, de Claudia Paim, os escritos estarão espalhados pelos corredores do Vila Flores.

ESTÚDIO HYBRIDO
Mostra da produção dos artistas do Estúdio Hybrido. O Estúdio Hybrido foi planejado para abrigar ações transdisciplinares e projetos colaborativos nas áreas das artes visuais, moda, dança, performance, tecnologia, vídeo e fotografia. Originalmente criado por Marcelo Monteiro (artista visual) e Vanessa Berg (designer de moda), agora conta com a presença dos artistas Kelvin Koubik e Ernani Chaves. O estúdio dispõe de equipamentos cênicos, fotográficos digitais e analógicos, prensas para gravura, máquinas de costura, biblioteca especializada para consulta local, além de objetos e mobiliário para cenografia e uma loja onde são comercializados os trabalhos ali produzidos.
https://www.facebook.com/pages/Est%C3%BAdio-Hybrido/373565782665077

ATELIER DE CERÂMICA
Peças de cerâmica exclusivas para deixar o dia a dia mais bonito, das artistas visuais Miriam Gomes e Márcia Braga.

HUMANUS
A Humanus é uma marca que​, inspira​da nas Artes e na Filosofia​, busca provocar novos olhares​. Entende​mos o produto de moda como um media​dor cultural, um​a​ alternativa para expressar ideias, possibilitar reflexões e ​dialogar, transformando e reinventando nossas experiências cotidianas. Percorremos, assim, caminhos que ​a​proxima​m as Artes e a Filosofia d​a nossa vivência ao mesmo tempo em que sugerimos um​ campo de moda mais rico de significados, pensante de si mesm​o​ e abert​o​ a novos olhares.
www.universohumanus.com

OVNI DE PORTAS ABERTAS
A gente percebe o mundo à nossa volta com todos os sentidos. Nesta 3ª edição do Simultaneidade, a OVNI Acessibilidade Universal abre suas portas para quem quiser conhecer um pouquinho sobre a produção de audiodescrição, legendas para surdos e ensurdecidos e LIBRAS. Vem tomar um café com a gente, trocar uma ideia sobre acessibilidade comunicacional e exercitar a empatia para entender por que o mundo, a partir do quintal de cada um de nós, fica mais justo e bonito se estiver acessível a todos.
https://ovniacessibilidade.wordpress.com/
https://www.facebook.com/ovniacessibilidade/

EXPOSITORES NO PÁTIO NOS DIAS 16 E 17 DE DEZEMBRO – SÁBADO E DOMINGO

CALEIDOSCÓPIOS DE LU DELACROIX
Venda de caleidoscópios e camisetas infantis bordadas a mão, exclusivos da artista visual Lu Delacroix.

OJO TEIAS
Sábado, dia 16/12
Nosso trabalho de design – têxtil e digital – investiga a coexistência consciente dos sentidos, como uma espécie de sinestesia cognitiva e através dela ver e viver o mundo (no caso o ambiente urbano) e assim de que maneira implicamos na urbe. Por meio da teia, damo-nos conta das inter-relações e realidades que podem ser modificadas pelas simples conexões que fazemos. ora mental ora intuitivo, somos seres capazes de materializar e modificar um instante: o aqui e agora
www.facebook.com/ojoteias
instagram.com/ojoteias

LÂMINA CUT – TOM GASTON
Cortes de cabelo

CAFÉ PAPOULA
Comidinhas e café

4 BEER
Cervejas artesanais

CALDEIRÃO 13
Comidinhas veganas

BENDITO POTE
Saladinhas orgânicas no pote

WALKING PIZZA

Espetáculo traz canções de amor e apresentação terá renda destinada ao Theatro do Abelardo

“O Amor, A Voz e O Violão: da Renascença à Bossa Nova” do Duo Abreu&Spinelli acontece no dia 14 de dezembro no menor e mais simpático teatro de Porto Alegre
Prepare-se: o Theatro do Abelardo, “casa” do cachorro mais querido da cidade, receberá o violonista Jonathan Spinelli e a soprano Geisa Abreu no dia 14 de dezembro. O recital apresenta obras cuidadosamente selecionadas pelo seu valor poético e estilístico, revelando a cumplicidade entre voz e violão para cantar o amor através do tempo. O repertório visita diferentes períodos e estilos musicais, criando uma ponte entre as composições camerísticas européias, com os autores Luys de Narvaez, John Dowland, Manuel De Falla e Garcia Lorca, e a recriação do erudito brasileiro, com obras selecionadas de Villa-lobos e Tom Jobim, representantes da sofisticação da música de câmara nacional. Também são destacados os poetas portugueses Luís de Camões e Florbela Spanca para representar as palavras de amor em língua portuguesa.
Todo o clima caloroso e intimista da música de câmara é apresentado através de obras originais para voz e violão, arranjos exclusivos e peças compostas para violão solo, que fazem parte de uma pesquisa realizada pela cantora em uma viagem feita para a Espanha, em 2014. Dentro do universo erudito a plateia aproxima-se dos artistas, popularizando o estilo musical entre os mais diversos públicos, como acontecia nas pequenas salas de concerto dos palácios, nas praças e feiras livres medievais, por onde o povo circulava e ouvia música. O clima e a energia destes tempos até chegar aos bares de Copacabana nos dias de hoje é revivido durante a apresentação.
O Duo Abreu&Spinelli
Geisa Abreu é cantora e pesquisadora de linguagem. Licenciada em Letras e Literatura, é mestra em Linguística Aplicada, especialista em Língua Inglesa, escritora e poetisa. Participou de vários coros e produções orquestrais com a OSPA, Orquestra da UCS, Orquestra Petrobras e Orquestra do TSP, sob a regência de destacados maestros brasileiros. No Theatro 13 de Maio, em Santa Maria, interpretou importantes autores do canto lírico nacional no espetáculo Música Brasileira, dentro do projeto Confraria Lírica, movimento de pesquisa e valorização da cultura erudita nacional, o qual criou e liderou de 2001 a 2003. Estudou repertório operístico com as sopranos Laura de Souza e Helenita Mello. Atualmente, faz preparação vocal e estudo de repertório de câmara com a soprano Lúcia Passos. É a idealizadora e diretora artística do espetáculo.
Jonathan Spinelli é músico instrumentista, bacharel em violão clássico pela UFRGS e mestrando em interpretação do instrumento na mesma universidade, cantor e professor de música. Iniciou seus estudos aos 11 anos de idade, na Escola de Música da OSPA, onde aprendeu teoria musical, enquanto levava o estudo do violão de forma autodidata até ingressar na universidade. Apesar do apreço pelo instrumento, sempre se envolveu com música nos âmbitos mais diversos. Aos 15 anos, trabalhou como ponto de apoio do principal cantor no musical Evita, realizado em Porto Alegre. Ao longo de sua carreira, realizou recitais em diversas cidades do Rio Grande do Sul. É responsável pelos arranjos e direção musical deste trabalho.
Entre no clima de amor através dos tempos e ajude a manter a casa do nosso simpático cachorro Abelardo. Em defesa da nossa cultura, os artistas destinarão toda a renda para a manutenção de mais um espaço destinado a arte e cultura em Porto Alegre!
Serviço: 
“O Amor, A Voz e O Violão: da Renascença à Bossa Nova” do Duo Abreu&Spinelli – Pela manutenção do Theatro do Abelardo
Dia 14 de dezembro (quinta-feira)
Horário:19h
Local: Theatro do Abelardo (Rua Hoffmann, 459 – Bairro Flores), anexo ao Vila Flores.
Ingressos no local: R$ 30,00
(toda a renda será revertida à preservação do Theatro do Abelardo)

Projeto Simultaneidade 3ª Edição – TransVerCidade

VILA FLORES APRESENTA: 3ª EDIÇÃO DO PROJETO SIMULTANEIDADE
“TransVerCidade”: a cidade que queremos!

Dias 16 e 17 de dezembro acontece a 3ª edição do Projeto Simultaneidade, evento organizado coletivamente pelo espaço Vila Flores e seus parceiros. A temática do ano “TransVerCidade” vem da vontade de mostrar que a cidade que sonhamos e queremos já está sendo colocada em prática através de muitas mãos, ideias e ações, mas que ainda há muito para se refletir e reivindicar. O evento contará com apresentações artísticas, mostra audiovisual, bate-papos, exposições de artes visuais, oficinas, workshops e diferentes expositores, em dois dias de programação, das 10h às 22h, com entrada franca.

O evento multiartístico é realizado bienalmente de maneira coletiva e representou o marco de abertura do espaço Vila Flores para a comunidade em 2013. A iniciativa acredita que a partir de diferentes disciplinas, olhares e maneiras de fazer todos nós desenvolvemos projetos que buscam uma cidade mais inclusiva, justa, coletiva, criativa e sustentável. A proposta do VER, em seu sentido mais amplo, estende o conceito ao enxergar além dos olhos, propondo uma visão de futuro.

Música, literatura, artes visuais, design, arquitetura, empreendedorismo, gastronomia, moda, artes cênicas, audiovisual, educação, educação ambiental, projetos sociais e cultura digital compõem mais de 60 atividades na extensa programação que acontece ao longo do sábado e domingo. A ideia é convidar o público a juntar-se ao evento, buscando fazer, trocar, celebrar, refletir e resistir!

O convite é aberto à toda família e a entrada é gratuita, havendo a possibilidade de contribuição consciente para a estrutura do evento e para as atividades oferecidas.

Confira em breve a programação completa aqui: http://www.vilaflores.net

Serviço:
Dias 16 e 17 de dezembro das 10 às 22h
Entrada: pela Rua Hoffmann, 459 – Bairro Floresta – POA

As vidas negras importam

* Por Aline Kerber – Instituto Fidedigna

Temos vivenciado uma onda de homicídios e crimes violentos sem precedentes. Os dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2017 revelam o aprofundamento de um problema crônico na segurança. 61.283 mortes violentas intencionais no Brasil foram acometidas em 2016. No Rio Grande do Sul, houve um incremento de 8,3% dos homicídios, foram 2.844 vítimas fatais. Porto Alegre ficou em 3º lugar no ranking nacional de assassinatos, entre as Capitais, com uma taxa de 61,3 por 100 mil habitantes, atrás somente de Belém e Aracajú. 

No ano passado, as 4.976 mortes de policiais brasileiros, em sua maioria fora do horário de serviço, e de civis decorrentes de intervenção policial denotam o tamanho e a complexidade dos desafios que se apresentam à consolidação da democracia e do Estado de Direito. Apesar do lamentável aumento de 27% das mortes decorrentes de intervenção policial no Brasil, o Rio Grande do Sul reduziu esse indicador em 35%. Não nos estranhemos, portanto, com o fato de unicamente 1/3 dos brasileiros confiarem nas polícias, a despeito de 2/3 da população gaúcha entrevistada considerarem os policiais destas plagas como os mais honestos.

Ora, devemos colocar a temática da abordagem e do uso da força policial como um tema central na agenda pública. A forma como a polícia se relaciona com a cidadania e vice-versa diz muito acerca do grau de confiança e legitimidade social do Estado. Os dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública desvelam que, entre 2015 e 2016, 76% das pessoas mortas em intervenções das polícias eram homens negros, ao passo que 56% dos policiais vitimados fatalmente, do sexo masculino e também negros.

O Brasil tem 54% de negros em sua população, todavia, a cada 100 vítimas de homicídios 71 são negras. Entre as mulheres vítimas de homicídio e feminicídio, 65% delas são negras. Precisamos explicitar quem são as vítimas preferenciais da violência urbana no Brasil para avançarmos na segurança dos direitos. Lembrando Mandela: “ou a segurança é para todos ou não é para ninguém.” Mais Instinto de Vida para todos e todas!

Vincent Moon e Priscila Telmon apresentam: Híbridos, em Porto Alegre

Ministério da Cultura e Aliança Francesa de Porto Alegre apresentam:
Vincent Moon e Priscilla Telmon apresentam Híbridos, os Espíritos do Brasil, em
Porto Alegre. Composto de diferentes formatos, projeto apresenta poesia visual sobre o sagrado brasileiro.
No domingo, 10 de dezembro, a Aliança Francesa de Porto Alegre traz à capital gaúcha
o projeto Híbridos, Os Espíritos do Brasil – uma pesquisa poética e cinematográfica
sobre a espiritualidade brasileira, de Priscilla Telmon e Vincent Moon. O evento
acontece a partir das 18h, na Associação Cultural Vila Flores (Rua São Carlos, 753) com
entrada franca. Dirigido Telmon e Moon, e produzido pelos dois e pela brasileira
Fernanda Abreu, Híbridos é uma pesquisa etnográfica sobre a multiplicidade do
mundo das cerimônias sagradas brasileiras e também sobre a linguagem
cinematográfica e seu potencial poético. Composto de diferentes formatos, um
complementar ao outro, o projeto ambiciona questionar nossa relação com as imagens
nos dias de hoje.
Em Porto Alegre, os artistas visuais participam de Débats d’idées sobre o projeto e seu
processo com exibição de curtas, site e abertura para perguntas. Depois, apresentam
uma performance ao vivo site-specific, onde Vincent Moon edita um filme ao vivo
enquanto Priscilla Telmon faz improvisos musicais com voz e instrumentos, afetando a
plateia de diversas maneiras e provocando uma espécie de “ritual cinematográfico”.
A partir de uma pesquisa detalhada, foram registradas mais de 60 cerimônias
diferentes pelo país afora durante os últimos três anos. Desde os cultos afro-brasileiros
da Bahia às novas formas da Umbanda em Minas Gerais; dos rituais indígenas
ancestrais no Acre aos crescentes cultos evangélicos no Rio de Janeiro, Híbridos é a
maior coleção poética sobre a cultura espiritual brasileira.
Artes visuais ao vivo
A forma ao vivo de Híbridos é uma performance de edição espontânea de trechos dos
rituais registrados por Moon, com intervenções improvisadas por Priscilla com
instrumentos e voz. A cada evento, um filme, uma história, uma colaboração, uma
experiência diferente. A estreia deste formato, em maio de 2017, foi no
festival CPH:DOX em Copenhagen, e o resultado foi muito além das expectativas. De lá
pra cá, já aconteceram algumas sessões impressionantes, como no Festival de Música
Sacra no Marrocos, onde a performance aconteceu dentro da antiga medina de Fez
com a participação da irmandade Sufi Hamadcha. Desde então, já passou por Suécia,
Bélgica, Alemanha e França.
Vincent Moon
Fazendo parte da “nova geração de cineastas” segundo a Cinemateca Francesa,
nascido na era digital e da internet, Vincent Moon foi o principal diretor dos Concerts à
Emporter, do site La Blogothèque. O projeto online de filmes musicais de bandas como
Ministério da Cultura e Aliança Francesa de Porto Alegre apresentam:
R.E.M, Tom Jones e Arcade Fire, revolucionou o conceito de vídeo clipes e o jeito de
filmar música em todo o mundo. No Brasil, trabalhou com artistas como Gaby
Amarantos, Tom Zé, Elza Soares e Ney Matogrosso. Desde 2009, Moon se dedica a seu
selo nômade PetitesPlanètes. Percorrendo o mundo com sua câmera e seu
computador na mochila, faz filmes etnográficos experimentais de forma independente,
registrando cenas folclóricas, músicas sagradas e rituais religiosos disponibilizados na
internet pela licença Creative Commons.
Priscilla Telmon
Fotógrafa, escritora e cineasta, percorre o mundo em missões humanitárias e viagens
de aventura. Membro da Sociedade de Exploradores Franceses, se dedica a viagens
longas que combinam história e aventura. Sua paixão pela exploração e culturas
antigas rendem filmes, reportagens e livros. Por meio de palavras e fotografias, áudios
e filmes, Priscilla assina diversas reportagens sobre ecologia, os últimos nômades e
xamanismo. Publicou La Chevauchée des Steppes, (Editora Robert Laffont), e Carnets
de Steppes, sobre a sua travessia a cavalo durante sete meses do Cazaquistão ao Mar
de Aral. Publicou ainda Himalayas, (editora Actes Sud), e dirigiu o filme Voyage au
Tibet Interdit (Editora MK2), sobre a sua última expedição a pé e sozinha pelo Himalaia
durante seis meses.

Site do projeto: híbridos.cc

Híbridos, Os Espíritos do Brasil – uma pesquisa poética e cinematográfica sobre a
espiritualidade brasileira
Domingo, 10 de dezembro de 2017, a partir das 18h
Vila Flores – São Carlos, 752 – Porto Alegre
PROGRAMAÇÃO
18h às 19h30: apresentação do projeto trans-cinema e seu processo com exibição de curtas,
site e abertura para perguntas
20h30 às 21h45: performance de cinema ao vivo site-specific onde Vincent Moon edita um
filme ao vivo enquanto Priscilla Telmon faz improvisos musicais com voz e instrumentos, afetando a plateia de diversas maneiras e provocando uma espécie de ‘ritual cinematográfico’.
Evento realizado pela Aliança Francesa de Porto Alegre e pelo Ministério da Cultura (MinC) por meio da Lei de Incentivo à Cultura (Rouanet), com patrocínio da Timac Agro e apoio do Vila Flores.

barra logos hibridos.jpg

A escola nos diz: não existem armas pela vida

* Por Aline Kerber, do Instituto Fidedigna

Hoje, a América Latina concentra 8% da população mundial e 38% dos homicídios. Por conta disso, 53 organizações da sociedade civil estão disseminando a Campanha Instinto de Vida com o objetivo de salvar 365 mil vidas em 10 anos na região. Os brasileiros pedem urgência nessa agenda, pois o país é líder em números desse crime no mundo – 60 mil vítimas por ano, e as pessoas sentem muito medo.

O Rio Grande do Sul foi pioneiro no lançamento da Campanha no Brasil. Cerca de 200 pessoas de 62 organizações estiveram presentes nessa atividade no final de agosto em Porto Alegre. 15 Prefeitos participaram da do evento, e os de Pelotas, Santa Maria, Novo Hamburgo e Cachoeirinha, além do Secretário Estadual de Segurança firmaram o compromisso para a redução dos assassinatos.

Paradoxalmente, há forças políticas sustentando a necessidade de revogação do Estatuto do Desarmamento em um contexto de ódio e em que as armas são responsáveis por 72% dos homicídios ocorridos no território nacional, como a tragédia do dia 20 de outubro em uma escola em Goiânia, em que foram mortos 2 jovens dentro de uma sala de aula e feridos outros 4 – sem arma de fogo o potencial de lesividade teria sido outro. Aumentar a circulação desse instrumento significa incrementar os crimes violentos que atingem e aterrorizam todas as classes e espaços sociais, em especial, violência contra a mulher e assaltos.

No caso da escola, tanto as públicas quanto as privadas necessitam investir em políticas de prevenção à violência para que tragédias como o de Goiânia, Realengo, Columbine não se repitam e não sirvam de inspiração. É fundamental usar o conhecimento para resgatar a vida e os laços de solidariedade, como se almeja com as CIPAVEs no Estado – pois esse é o melhor instrumento contra a assombrosa letalidade dos nossos dias. A escola nos mostra que o problema é grave, persistente e pode piorar se nada for feito. Aprendamos de uma vez. Chega de velarmos os nossos jovens!

* Texto originalmente publicado em Zero Hora

Espaços para a resistência da ciência no Brasil

Os momentos de retrocesso no Brasil estão levando de marcha à ré também a ciência. O pouco de incentivo à pesquisa é crescente e só vê um futuro ainda mais nebuloso. Acreditamos que aproximar esse debate da sociedade é mais fundamental do que nunca, no cenário de medidas como a redução de incentivo público ao ensino superior e as mudanças propostas em currículos escolares, que buscam diminuir ainda mais a capacidade reflexiva dos estudantes. Esse cenário afeta, sem a menor dúvida, o futuro das pesquisas em todas as áreas.

É neste momento que espaços e iniciativas como o Vila Flores são atores essenciais. Aqui, a Apoena Socioambiental e a Ecdise são algumas das empresas que pensam e incentivam a ciência, levando-a para a sociedade de forma didática e ampla. No último setembro as iniciativas realizaram o evento Vila ConsCiência, que reuniu atividades e debates de áreas relevantes para a qualidade de vida, contribuindo com alternativas sustentáveis para a preservação do ambiente.

Trazer o debate para o Vila é importante para desmistificar a glamourização da ciência, aproximando os conceitos à rotina das pessoas. Atualmente, a dificuldade em ampliar o interesse na ciência reside em sua distância da vida cotidiana, se restringindo, basicamente, ao meio acadêmico.

Para esse primeiro evento, por exemplo, optou-se por assuntos variados e próximos ao momento que vivemos. Foram de oficinas que tratam de temas voltados para a economia a questões de nutrição e engenharia de alimentos, ciências naturais e educação ambiental. Tratou-se de trazer perspectivas que pautam harmonia e equilíbrio em detrimento da competitividade. São temas que se relacionam com melhorias nas prática cotidianas como a questão de pensar a nossa relação com o econômico, alimentação, convivência com os animais e futuro da ciência.

 

reciclo

Aula de compostagem urbana com a Re-ciclo, também residentes do Vila

Uma das pauta do I Vila ConsCiência também foi o debate sobre a extinção da Fundação Zoobotânica. Diante da desvalorização por parte do poder público em relação ao trabalho  de geração de conhecimento, pesquisa e extensão, é urgente discutir a manutenção de  espaços educativos públicos, que garantem o acesso de toda a sociedade e, assim, a construção de um mundo mais justo e igualitário. Enquanto isso, espaços de cultura e educação como o Vila têm o dever de socializar conhecimento e mobilizar a comunidade para momentos de lazer que vão além do entretenimento.

Consideramos que todo o conhecimento tem a possibilidade de ser debatido de forma dinâmica e lúdica, desde que se tenha interesse e predisposição para se investir em metodologias inclusivas. Todo e qualquer conhecimento só faz sentido quando ele passa a ter sentido para a sociedade.

rodadeconversageleias

*Por Apoena Socioambiental e Sopro Conteúdo Digital

Cultura Geek e a diversidade no Vila Flores

Depois do sucesso do Nerdval, recebemos pela primeira vez a OktoberNerdFest. A celebração da cultura geek tem tudo a ver com o Vila, porque traz à tona o diálogo da diversidade. A festa cria mais um espaço para a troca e consolidação da cultura nerd em Porto Alegre. Mas, diferente dos demais festivais ao redor do Brasil e do mundo, ele é organizado pela própria comunidade. Esse fato amplia também a defesa da diversidade de público.

Um dos organizadores do evento, o Joel, do MateHackers, lembra que esse é um tema frequentemente abordado no universo nerd. StarTrek Enterprise, por exemplo, representou um marco histórico ao ser a primeira série de televisão a dar espaço a diferentes culturas em papéis importantes. Assim foi com a oficial de comunicação negra Nyota Uhura e com o personagem Sulu, descendente de asiáticos, que assumia o comandante da nave. Isso ainda na década de 60, em que a sociedade americana discutia os direitos civis.

“StarTrek é a celebração da diversidade. Tem um espaço claro para isso, de participação, visibilidade e tolerância ao diferente. A mesma coisa acontece com outros universos, como X-men, que no fundo discute racismo e a perseguição de minorias”, conta Joel.

Na OktoberNerdFest não existem julgamentos, ninguém é considerado pelas coisas que gosta ou veste. E não existe limite de idade. Durante o Nerdval, por exemplo, a liberdade estava a olhos vistos, nas pessoas vindo ao Vila vestidos como queriam. Além disso, o público variava de crianças a idosos, todos interessados em expressar sua visão de mundo, seja através de cosplay ou da sua forma.

O Joel, por exemplo, se reconhece no grupo de pessoas que se identifica com os valores transmitidos nos quadrinhos, mangás, seriados, filmes e animes. E é esse o tipo de público que a OktoberNerdFest pretende alcançar: pessoas que, através das ações praticadas por personagens, são capazes de assumir riscos, tomar uma decisão e lutar por aquilo. Enfim, pessoas que acreditam que a sua ação é capaz de transformar o mundo.

(Fotos do Nerdval: Ana Skavinski)

OktoberNerdFest mistura games, simuladores e cerveja

O OktoberNerdFest acontece no dia 14 de outubro e reúne o universo geek, misturando cerveja, games, simuladores e diversas atrações. A iniciativa é promovida pelos residentes MateHackers, um hackerspace formado por um grupo de entusiastas por tecnologia.

As atrações do evento são para encantar o público, especialmente os gamers. Serão disponibilizados videogames e máquinas arcade, que prometem resgatar a nostalgia de jogar com gráficos pixelizados. Além disso, foram convidados 5 desenvolvedores gaúchos para mostrar os jogos em que estão trabalhando. O evento ainda fechou uma parceria com a RedBull, que vai disponibilizar um simulador de carros de corrida.

A festa também será animada ao som de músicas de anime, J-Rock e Kpop, com show da banda SetFly e DJ Appel. Cosplay e Cospobre também são muito bem-vindos, inclusive o público que comparecer fantasiado paga meia-entrada e ainda ganha um brinde. Diversas bancas foram convidadas para expor e vender suas raridades. Vai ter até uma tatuadora rabiscando no Vila.

E como toda tradicional festa alemã, o OktoberNerdFest não vai deixar o público com sede. Serão 12 tipos diferentes de cerveja artesanal. Para comida, já estão confirmados foodtrucks, em especial os de pizza (que qualquer nerd não deixaria de comer).

Informações OktoberNertFest

O que: OktoberNerdFestival
Quando: 14 de outubro, das 12h às 22h
Onde: Vila Flores, Rua Hoffman, 459
Quanto: R$ 15 inteira, meia para cosplay
Ingressos em: https://goo.gl/oTBMZv

 

Vila Flores Porto Alegre

Um teto para a cultura de Porto Alegre

O Vila Flores é um espaço de diversidade, que acolhe iniciativas e ideias de todas as áreas, do teatro à tecnologia. Mas um propósito comum nos une: a valorização da arte e da cultura.

Os projetos criados pelo coletivo do Vila pretendem não somente trazer isso como pauta, mas prever resultados que agreguem ao fomento e à sustentabilidade dos artistas e dos agentes culturais de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul.

A ideia é criar eventos e propostas que ajudem a manter de pé ou viabilizem novos espaços e sonhos. Nossa mobilização mais recente pretende arrecadar fundos para a reforma do telhado do Galpão, um espaço vileiro voltado para exposições, apresentações e demais manifestações artísticas. É o caso do Arraial, realizado em junho deste ano. Em outubro, acontece também o Baita Teto, com o mesmo objetivo.

A ideia do evento apareceu da oportunidade de conciliar interesses de vileiros e simpatizantes desse nosso propósito. O Baita Teto vai existir graças a um diálogo produtivo com a banda Ultramen, que optou por utilizar o espaço do Vila para gravar seu cypher.

Banda Ultramen

Foto: Ricardo Lage

Como contrapartida, a Ultramen irá realizar um show, cujos valores de ingressos serão revertidos para a reforma do telhado. O Slam Peleia, o DJ Piá e empreendedores da gastronomia também estarão presentes para se somarem à causa.

Após a reforma, prevista para janeiro e fevereiro de 2018, o Vila espera poder oferecer a Porto Alegre um local de resistência da cultura e da arte. Em tempos de cortes de recursos e posicionamentos contrários à liberdade de expressão, acreditamos que o caminho são as ações micro, impulsionadas pelos interessados em construir uma cidade mais humana e artística.

Serviço:

BAITA TETO

Domingo, dia 29 de outubro, das 16h às 22h
Vila Flores – entrada pela Rua Hoffmann, 459. Bairro Floresta. POA/RS.
Ingressos: R$ 15,00 (antecipados pela internet) e R$ 20,00 (na hora).
Venda antecipada: clique aqui

Confirme presença do evento do Facebook

Mais informações:

vilaflorescultural@gmail.com | 51 3265-1600

 

* Por Luana Fuentefria – Sopro Conteúdo Digital